sábado, 19 de abril de 2008

Caverna (de novo)

Não há dúvidas de que a parábola da caverna é um dos (se não O) textos mais repetidos ao longo da história da filosofia. Dentre as leituras diversas e interpretações que se pretendem originais, gosto daquela de Hannah Arendt faz em Entre o passado e o futuro, justamente quando a autora afirma ser Platão o iniciador daquilo que chama por "tradição" da filosofia política.
Não, não vou dizer qual é a interpretação que Arendt faz da parábola. Quem quiser que leia!!!
E quem quiser assistir uma curta animação inspirada na parábola platonista, clique aqui.

Um comentário:

Ednamar disse...

Olá,faço o curso de Pedagogia na Tijucussu,trabalho com artesanato e tenho um bolg onde divulgo meus trabalhos e tbm textos e tudo q considero de ajuda e crescimento...gostei muito do Caverna gostaria de divulgar em meu blog darei os devidos créditos,aguardo uma resposta

ednamar33@uol.com.br